Encontro Vocacional

Dos dias 13 a 15 de outubro ocorreu no COV Nazaré mais um encontro vocacional. O encontrou contou com a presença dos Jovens provenientes das cidades Marituba- PA, Capitão Poço- PA e Ourém- PA.  Com a temática "Nosso chamado, na história dos chamados" o mesmo teve seu inicio na sexta-feita a noite com a oração do terço missionário recordando todos os continentes e as suas realidades.
Já no sábado pela manhã o encontro foi realizado por um momento formativo desenvolvido pelo Ir. Joandeson Ferreira enfatizando a importância da realidade da história no construto da vocação. 

O Irmão Joandeson tomou por base o relato da experiencia do Apostolo Paulo com Jesus e motivou aos jovens vocacionados a recordarem a sua história de vida e nela destacar elementos que os ajudaram na descoberta de sua vocação. 
Já na parte da tarde os Jovens vocacionados, juntamente com os seminaristas participaram da caminhada da juventude realizada pela Arquidiocese de Belém. 

No domingo (15) o encontro teve seu inicio com a participação na Santa Missa na comunidade Nossa Senhora das Graças pertencente a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. Logos após foi realizada uma pequena avaliação do mesmo. Seu enceramento culminou com um maravilho almoço e um bom momento de lazer.

Louvamos a Deus por Jovens que se deixam conduzir pelo amor de Deus na descoberta de sua vocação. 

Festa de São João Calábria

No dia 07 de outubro o COV Nazaré juntamente com todos os benfeitores, religiosos e religiosas e a comunidade externa celebraram a festa em honra a São joão Calábria. A santa missa foi presidida pelo Pe. José Haroldo o novo neo-sacerdote da Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência e co-celebrada pelo Pe. Hermes Novakoski.

Em sua exortação Pe. José Haroldo recordou a natureza de sua caminhada que seu deu também no COV Nazaré e ao mesmo tempo lembrou como é importante estarmos abandonados nas mãos de Deus, pois Ele jamais nos abandona assim como fez Pe. João Calábria. E nós somos frutos do seu ardor missionário e zelo Apostólico.

A celebração também foi marcada pela entrega dos pedidos para admissão a etapa do Aspirantado dos seminaristas Domingo Denilson e Francisco Neris; do postulado pelo Aspirante Gabriel Concolatto e do Ir. Joandeson Ferreira para admissão aos votos perpétuos.

Após o término da santa missa foi realizado o tradicional café da manhã partilhando e celebrando o dom da vida dos benfeitores.

O COV Nazaré louva e bendiz por esses jovens que decidem dar mais um passo em sua caminha vocacional. Ao Pe. José Haroldo, em forma de agradecimento pelo seu sim. Que nosso Pai fundador São João Calábria interceda bênçãos em seu ministério ordenado.













Ordenação Sacerdotal do Diácono Haroldo

O dia 30 de Setembro foi celebrado com muita alegria e apreço, pois a paróquia Nossa Senhora de Nazaré oferece a Igreja e a Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência mais um sacerdote, Padre José Haroldo de Oliveira Medeiros. O neo-sacerdote é natural do município de Viseu e desde sua adolescência desenvolveu sua atividade patoral na comunidade São José pertencente a paróquia Nossa Senhora de Nazaré.
A celebração foi presidida por sua excelência reverendíssima Dom Alberto Taveira Correa e contou com a presença de seus familiares, religiosos e religiosas, seminaristas, aspirantes e amigos das cidades de Marituba, Jacundá e Viseu ambas do estado do Pará, de São Luis do Maranhão, Feira de Santana- BA e Limoeiro- Pe
"Eis que venho ó Deus, para fazer a Tua vontade" (Hb 10,7)  foi o lema escolhido pelo Pe. José Haroldo. Tomando a palavra o neo-sacerdote lembrou a todos a graça do chamado de Deus em sua vida e agradeceu a todos os que se fizeram presente na celebração, as equipes de trabalho que atuaram de forma direta e indireta.
O COV Nazaré louva e agradece pelo sim do Pe. José Haroldo em prol do Serviço do Reino e deseja muitas bençãos no seu ministério.







Convocação do Ano Vocacional Calabriano

“Vocações precisam ser despertadas.”
(Dom José Roberto Fortes Palau)

Queridos irmãos e irmãs,

Viva hoje o sonho de Calábria! É o apelo que nos interpela a vivermos o ano Vocacional Calabriano no Brasil. O tema para a realização Ano Vocacional Calabriano é “A fé e o discernimento vocacional”, tema referente ao sínodo dos bispos sobre a juventude em outubro de 2018; o lema “Valorizem e amem muito a própria vocação”, tirado da carta de São João Calábria, e tendo como iluminação bíblica o texto do Evangelho de São João: “Mestre, Onde Moras? Vinde e Vede!” (Jo 1, 38-39). Entendemos que o Ano Vocacional Calabriano é um tempo fecundo para fortalecermos a cultura Vocacional junto aos Irmãos, às Irmãs, Leigos e Leigas, incluindo suas famílias e o que está ao seu redor. Trata-se de um tempo favorável para revisitar, revitalizar e impulsionar o projeto pessoal de vida e de missão que cada pessoa se propõe, com seus desafios e motivações ao longo do caminho. Quer comprometer e envolver mais Irmãos, Irmãs e Leigos a empenhar-se no despertar e no acompanhar das vocações. Rogamos ao Senhor da messe que envie operários do Evangelho, como para Pe. Calábria tinha o anseio pelas vocações para a Igreja. Pedimos a Deus Pai que conserve e desenvolva a Obra.

Assumimos como objetivos: Redescobrir o encantamento de nossa vocação a partir da experiência pessoal com Jesus Cristo; Intensificar a oração pelas vocações; Construir uma cultura vocacional nas comunidades religiosas e na missão; Reavivar a fé e confiança em Deus Pai que chama continuamente; Testemunhar com alegria o ser Consagrado(a); “Sair, ver e chamar”.

O nosso agir se dá pela oração pelas vocações, na promoção de atividades vocacionais, na inclusão do Ano Vocacional Calabriano no planejamento de nossas comunidades e atividades, no envolvimento e mobilização dos grupos, pastorais e ministérios e na divulgação (vídeo, jornal, rádio, revista…).

A abertura oficial foi realizada no dia 1º de outubro de 2017, na celebração da primeira missa do Padre José Haroldo, em Marituba. O Ano vocacional abrange dois momentos:

1. A I Etapa será celebração do Ano Vocacional Calabriano com um olhar mais interno da Obra no Brasil, de nossas vidas consagradas, do ser sal e luz no mundo e de nossas atividades e pastorais. Tem como início dia 08 de outubro de 2017 e término no dia 08 de outubro de 2018;

2. A II Etapa, em comunhão com a Igreja do Brasil, participação do 3º ano vocacional do Brasil em comemoração os 35 anos da realização do 1º Ano Vocacional no país. Será realizado no período de agosto de 2018 à agosto de 2019. E no final de agosto ou início de setembro a realização do 4º Congresso Vocacional do Brasil, comemorando os 20 anos do primeiro, em 1999.

O material do Ano Vocacional Calabriano será em forma digital e disponível no site www.pobresservos.org.br/anovocacionalcalabriano que ser a disponibilizado no dia 08 de outubro.

“O fim de alguma coisa dá origem ao início de outra.” Assim desejamos ver o Ano Vocacional Calabriano. Temos que sair deste ano apreciando mais o DOM da Vocação, aquela que nos une a todos, a do seguimento de Cristo à exemplo de São João Calábria, cientes de termos construído uma cultura vocacional. Para tal fim, necessitamos viver com empenho, dedicação e criatividade o Ano Vocacional Calabriano e o 3º Ano Vocacional do Brasil.

Deus nos chama, nos ama e nos envia.

Fraternalmente,

Ir. Beatriz Paulin  
Delegada Pobres Servas da Divina Providência

Pe. Gilberto Bertolini
Delegado Pobres Servos da Divina Providência

Manto de Nossa Senhora de Nazaré para o Círio de 2017 é apresentado em Belém


Após missa na Basílica, manto foi apresentado aos fieis. A designer Aline Folha e a estilista Marilza Ramos são as responsáveis pela confecção da peça.


O manto que cobre a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré nas 12 procissões do Círio 2017 foi apresentado nesta quinta-feira (5), na Basílica Santuário, em Belém, durante missa presidida pelo Arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira.

As luzes da catedral foram apagadas para o momento de apresentação do manto, já vestido na imagem. Quem assina a designer Aline Folha e a estilista Marilza Ramos, que foram convidadas pelo pela Diretoria da Festa de Nazaré para realizarem o trabalho.

O desenho da peça foi entregue ainda no primeiro semestre, pela designer Aline Folha. Baseada no tema deste ano e inspirada em sua proximidade com a Igreja e suas lembranças de infância, Aline conta que criou com muito mais tranquilidade este ano. “Pra mim, o manto do ano passado foi mais terreno, mas o deste ano é uma oração. Eu diria que é mais celestial, digo pelo processo do desenho, por onde ele começa, por tudo que eu tentei representar. Este ano me senti muito mais tranquila e muito abençoada também”, explica.

A estilista Marilza Ramos fala da emoção de ter criado o manto. “Eu me sinto honrada pelo segundo ano de convite e pelas pessoas com quem trabalhei nessa empreitada. Esta peça traz mais detalhes e, por isso, mais trabalho também, mas foi um trabalho muito feliz. Consegui executar uma técnica que pensei do ano passado, então me sinto realizada e com esse trabalho me sinto vivenciando mais ainda a Igreja”, destaca a responsável pela a execução do Manto.

O manto é uma doação voluntária e anônima de um casal devoto de Nossa Senhora de Nazaré. 


Fonte: G1 Pará


ENTENDENDO O MANTO


O manto do Círio 2017 aponta para Maria como Estrela da Evangelização. Conheça o que cada elemento representa na simbologia do manto:

ESTRELA LUMINOSA - Simboliza Maria, a Estrela da Evangelização.

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - Situado dentro da Estrela Luminosa, o Sagrado Coração, que se inflama de amor por nós, representa o Filho de Deus gerado no Ventre Virginal de Nossa Senhora.

COROA DE ROSAS DOURADAS RODEANDO O SAGRADO CORAÇAO DE JESUS – Simboliza o Rosário da Santíssima Virgem. As rosas são as muitas Ave-Marias com que a saudamos; orações que, pela intercessão dela, chegam ao Coração Misericordioso do Santíssimo Filho.

RAIOS DE LUZ QUE EMANAM DA ESTRELA-MARIA – simbolizam a Luz emanada da Mãezinha do Céu que, ao nos tocar amorosamente, nos tornam verdadeiros filhos de Maria: pacíficos, humildes, fiéis e misericordiosos.

ROSAS E JASMINS – Da explosão de luz mística que transcende da Radiosa Estrela, formam-se Rosas e Jasmins, que se espalham em toda a extensão do Manto. As flores que compõem esse Jardim Divino ensejam as graças e bênçãos que recebemos do Coração Sagrado, pela intercessão da Virgem Mãe Amorosa. Fecha-se aqui o intercâmbio de amor luminoso entre o Céu e a terra pela mediação de Nossa Senhora: as nossas preces, Ave-Marias (Coroa de Rosas Douradas), que sobem ao Trono do Altíssimo, pelas mãos da Puríssima Virgem, e as bênçãos e graças (Rosas e Jasmins) que, por sua intercessão amorosa, são a nós concedidas.

BOTÕES DE ROSAS - representam as pequenas delicadezas espirituais que a Imaculada Rainha, por sua benevolência, nos dá.

FOLHAS DOURADAS – feitas à mão, linha a linha, aos moldes dos antigos bordados portugueses, estas folhas douradas representam as pequenas, mas, grandiosas, gotas de Luz Divina que emanam das bênçãos e graças por nós recebidas, testemunho dos muitos Milagres que experimentamos, fruto da intervenção de Deus. Esses bordados portugueses remontam a delicadeza dos bordados feitos a mão, linha a linha, pela irmã Alexandra, da Congregação das Filhas de Sant’Ana do Colégio Gentil Bittencourt, nos Mantos que por muitos anos vestiram Nossa Senhora de Nazaré no Círio, quando não se usavam pedrarias. Assim, pela delicadeza filial dessa freira, faz-se memória das inúmeras graças e bênçãos que o povo dessas terras recebeu da Mãezinha do Céu, fonte de amor e de fé. 

GOTAS DOURADAS – situadas na margem inferior da costa do Manto, também bordada à mão, linha por linha, temos três gotas douradas, que simbolizam o poder da Oração que nos une à Mãe de Deus. O espaço transcendente da Oração é um lugar Sagrado, envolto em atmosfera de luz divina.

GOTA VERMELHA – representa o Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos santifica e salva.

DOURADO DA BARRA DO MANTO – no acabamento da barra do Manto, encontramos o mesmo tipo de bordado português das folhas douradas, simbolizando a redoma de luz que envolve o Manto de Nossa Senhora de Nazaré.

BROCHE – Fechando o Manto está um broche dourado, em formato de uma pomba (que representa o Espírito Santo), tendo uma rosa na boca (que representa a Virgem Maria). Esta simbologia indica a íntima relação entre a Santíssima Virgem Maria e a Igreja, que ilumina o anúncio da Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Semana de Animação Vocacional do Diácono Haroldo

Dos dias 24 a 28 de Setembro, ocorreu na Paroquia Nossa Senhora de Nazaré a semana de Animação Vocacional do Diácono Haroldo em preparação a sua ordenação presbiteral. A Atividade contou a presença de religiosos e religiosas Pobres Servas, seminaristas Pobre Servos, Aspirantes e religiosas das Pequenas Irmãs da Sagrada Família atuantes em Marituba-PA, bem como provenientes de outras atividades missionarias da Congregação como: Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul além da equipe dos Agentes Vocacionais.

O inicio da Atividade ocorreu na Comunidade Nossa Senhora das Graças pela parte da manhã e a noite na Comunidade São José Operário ambas pertencente a Paroquia Nossa Senhora de Nazaré. Na terça-feira a promoção vocacional foi realizada na comunidade Nossa Senhora da Paz, na quarta-feira em Nossa Senhora de Nazaré e na quinta-feira na comunidade Nossa Senhora de Lurdes. Todas as celebrações foram marcadas pela dinâmica " Baú das Recordações" aonde no seio da celebração se deu destaque a fatos da história de vida do convívio familiar, de sua atuação na comunidade e no seu trabalho do Diácono Haroldo ambas extraídas do Baú e testemunha por pessoas de convivência. Além das encenações dos evangelhos de Mt 20, 1-16a, Jo 2, 1-12 e Lc 24, 13-35.

Em cada celebração o Diácono Haroldo agradeceu a todos pela presença e os motivou a rezar pelas vocações e pelo seu ministério ordenado.
O Serviço de Animação Vocacional e a equipe dos Agentes Vocacionais agradecem a todas as comunidades que acolheram a promoção vocacional, aos sacerdotes que presidiram a Santa Missa: Pe. Jardel Rodrigues, Pe. Gustavo Bonassi, Pe. Sander Patalo, Pe. Hermes Novakoski e Pe. Jeilson Soares e ao Pároco Pe. Jaime Bernardi.  









Ano Vocacional - Carta Superior Geral

“A vocação depende de Deus, e Deus não deixa de suscitar em abundancia segundo os desígnios da sua Providência. Mas sabemos que Deus quer servir-se também dos homens como seus instrumentos e auxiliares. ‘Quem te criou sem a tua ajuda, não te salvará sem teu auxilio’: esta palavra pode ser aplicada também às vocações.” (Padre Calábria, para ENRICO RUBALTELLI *R 19)

Caríssimos Irmãos e Irmãs da Família Calabriana presentes na Delegação Nossa Senhora Aparecida. A todos vós a paz, o amor e a alegria do Senhor. A Congregação, segundo uma indicação do XI Capítulo Geral, propõe a toda a Família Calabriana um ano para criar uma verdadeira cultura vocacional.

O objetivo principal é fazer um trabalho de sensibilização sobre a importância de escutar e cultivar o chamado do Senhor; promovendo encontros, orações e atividades com o objetivo de sermos mais sensíveis ao tema do discernimento e do chamado que o Pai dirige a cada pessoa. Em cada realidade procurar-se-á de envolver os grupos, as paróquias, as Casas onde estamos presentes para refletir sobre o sentido da vocação.

É um tema que diz respeito a todos e a toda a Igreja porque, como nos ensinou São João Calábria, devemos promover vocações para a Igreja; Sacerdotes, Religiosos e Leigos que escutando o chamado tornam-se disponíveis a responder com generosidade. Porém o Senhor se serve de seus instrumentos para fazer ouvir a sua voz. Penso ao meu chamado, hoje não estaria aqui, se Deus não se manifestasse através de instrumentos que criaram as condições para ouvir a voz: “Vem e segue-me.”

Ao longo deste ano será aprofundado o tema do chamado à vida religiosa, procurando de valorizar tanto a figura do Irmão, quanto da Irmã e do Sacerdote. Mas ao mesmo tempo procuraremos promover uma reflexão sobre a importância de viver em profundidade a própria fé e o próprio chamado, escutando a voz do Pai. Este é um aspecto que diz respeito, muito de perto, a todos nós, religiosos e leigos, para estarmos abertos à vocação e ao chamado de Deus.

O nosso ano vocacional coincide com o caminho de toda a Igreja em preparação ao próximo Sínodo dos Bispos, que será dedicado ao tema dos jovens e do discernimento vocacional. Verdadeiramente este é um sinal providencial e de extraordinária comunhão eclesial.

Como ponto de partida convido a todos vós a criarem uma sinergia com todos aqueles que nas nossas Casas se ocupam da pastoral vocacional. Comprometer-se concretamente no acompanhamento de jovens que estão à procura e em discernimento vocacional através da direção espiritual. Praticando a criatividade para envolver as paróquias, os grupos de jovens, sensibilizando-os sobre o chamado de Deus através de itinerários formativos, também entre os nossos colaboradores e grupos calabrianos. Por fim, a todos os que se ocupam diretamente da pastoral vocacional, que possam usar melhor os atuais meios de comunicação para chegar cada vez mais aos jovens que chegam a nós pelos meios virtuais, servindo-nos destes instrumentos para que chegue a eles a voz Daquele que os chama.

O instrumento mais importante para promover as vocações é a oração. Como diz Jesus no Evangelho: “A messe é grande mas são poucos os trabalhadores; pedi pois ao Dono da messe para que envie operários à sua messe.” (Lc 10,2). Certamente rezaremos ainda mais pelas vocações nas nossas Casas, e convido a toda a Família Calabriana presento no Brasil, a fazer o mesmo e oferecer, além da nossa oração, os sofrimentos e as fadigas diárias por esta particular intenção neste ano vocacional.

A todos vós a minha saudação fraterna, desejando de coração que esta iniciativa não seja somente para os outros, mas nos ajude a todos a responder com alegria à nossa própria vocação e chamado. Estou particularmente convencido que a força de atração dos jovens para responderem à vocação é nosso modo alegre de viver. Esta é a promoção vocacional mais eficaz.

Bom começo de ano vocacional!!!
Deus vos abençoe. Meu fraterno abraço a todos.

Pe. Miguel Tofful

Missa votiva em honra a São João Calábria

No dia 08 de setembro de 2017 ocorreu no COV Nazaré mais uma missa votiva em honra a São João Calábria. A celebração foi presidida pelo Pe. Hermes Novakoski e contou com a presença da comunidade externa. A reflexão ficou a encargo do Ir. Joandeson Ferreira que falou sobre o Sacramento da Unção dos Enfermos, último tema das catequeses mensais sobre os sacramentos. A celebração foi acompanhada da benção da saúde. Após o termino da celebração se teve um pequeno lanche partilhado. 
Louvamos e agradecemos a todos os que se fizeram presentes em mais está celebração.  
Abaixo segue o texto da homilia do Ir. Joandeson ferreira por completo.

Estimados Irmãos e Irmãs!
Nesta noite gostaria de apresentar a todos sobre a importância do Sacramento da Unção dos Enfermos. Gostaria de construir esse pensamento sobre três elementos: Sua perspectiva bíblica, as maravilhas da salvação pela natureza do sacramento e sua liturgia, isto é, seu rito.
O sacramento da unção dos enfermos constitui um novo evento salvífico operado pelo Senhor Jesus na sua Igreja. No qual gera benefícios nos batizados que se encontram em situação de doença ou em perigo de morte. A natureza deste sacramento exprime gestos de libertação, perdão, cura e redenção. Por conseguinte, sua gênese dar-se-á na natureza da Sagrada Escritura aonde podemos destacar as maravilhas do caráter salvífico deste sacramento. Esse destaque é visto a partir da compreensão sobre a "doença na economia da Salvação". A doença na perspectiva bíblica sempre foi entendida como uma ligação com o pecado. Na bíblia é concebida como situação de fraqueza física e de experiencia dos limites pessoas, em contraposição à saúde, que é vista como plenitude de força e vitalidade. (Cf. Sl 31,11; 38,11). A cura  do corpo que ocorre, é sinal de intervenções de Deus. Assim, a revelação vê as curas e contexto de fé religiosa, no qual Deus é o Pai da vida (Cf. Eclo 38,9-14) e o médico por excelência do homem (Cf. Ex 15,26). É por isso que os doentes se dirigiam constantemente aos representes de Deus, isto é, aos sacerdotes (Cf. Lv 13,49; 14,2; Mc 8,4) e aos profetas (Cf. 1Rs 14, 1-13; 2Rs 4,21; 8,7).
Desta forma, podemos destacar que a unção dos enfermos tem o valor de sinal, ou seja, Deus se inclinou sobre a humanidade sofredora para aliviar os males. A cura se verifica numa simples ordem " Eu ordeno fica curado"; expressão de força vital que emana de sua humanidade (Cf. Mc 3,10;6,56; Lc 8, 44-46) e por meio dos sinais como: tocando no doente (Cf. Mc 1,41; Mt 9,29), tocando nos ouvidos surdo e do mudo (Cf. Mc 7,33), fazendo um pouco de lama com a saliva e com ela tocando os olhos do cego de nascença (Cf. Jo 9,36) e impondo as mãos sobre os enfermos (Cf. Mc 8, 23-26; Lc 13,13). Assim sendo, vemos que estes são sinais claros da presença divina.
É nesse contexto que se insere a instituição do sacramento da unção dos enfermos. No qual Jesus associa aos apóstolos, o seu poder de expulsar os demônios e curar os enfermos com a unção de óleo (Cf. 6, 12-13). Este é um evento que prepara e prefigura o sacramento e que Jesus assegura aos apóstolos a continuidade desse poder, mediante a imposição das mãos (Cf. Mc 16, 17-18). 
Todavia, essa realidade se destacou em dois momentos. O primeiro por assumir um caráter miraculoso e o segundo por se expressar de modo menos espetacular, embora em clima de viva fé no poder de Deus e de grande participação eclesial (Cf. Tg 5,14-15). O que nos leva a entender que desde a época apostólica existia um rito composto de unção e de prece feita de fé feita pelo chefes da comunidade sobre os fiéis doentes. Esse rito era considerado salvífico para os dentes e portador da virtude de obter o perdão dos pecados. 
Assim, o concilio de Trento, em 1545 definiu como doutrina de fé que a unção dos enfermos é um dos sete sacramentos, instituídos por Cristo e promulgado pelo apostolo Tiago no qual estão ligados, o alivio do doente, a remissão dos pecados e a concessão da graça e a própria cura do corpo. Desta forma, o texto de Tiago é de capital importância, pois reúne os elementos essenciais da doutrina católica sobre a unção dos enfermos. Isto é, os destinatários, ou seja, o sacramento não é somente para os que estão fim da vida, mas para todos os fiéis que, por doença ou velhice, encontram-se em estado de saúde seriamente comprometido. se trata de receber a ajuda de Cristo por meio do sacramento da unção. Temos os ministros "presbíteros" ou "anciãos" que atualmente são os bispos e sacerdotes, únicos ministros válidos do sacramento. O sinal sacramental, no qual a matéria é o óleo. A tradição cristã acrescentou que esse óleo deve ser bento pelo bispo, todo ano na missa da quinta-feira santa junto com o óleo do crisma e do batismo. Estes servirão para o ano todo. A forma do sacramento é dada pela oração do ministro sobre o doente, juntamente com a unção na fronte e nas mãos. É o próprio Senhor que está presente e opera as suas maravilhas de salvação em beneficio do doente. E os efeitos que são dois um de caráter corporal " Salvará o doente e o Senhor o porá de pé" e de ordem penitencial " Se tiver cometido pecados, estes lhes serão perdoados".
O sacramento, portanto, representa um remédio do corpo e do espirito para cada cristão, cujo estado, esteja seriamente comprometido por doença ou velhice.
No que concerne, as maravilhas da salvação o sacramento da unção dos enfermos desdobra no enfermo a eficácia redentora única do mistério pascal de Cristo e o santifica, ou seja, o faz estar em conformidade com Cristo, em pertença particular com a Igreja e do dom da graça de que esse sacramento é portador.
Ademais, o rito deste sacramento conforme as orientações do Concilio Vaticano II compreende de 04 momentos fundamentais: Os ritos iniciais que sublinham a vinculação da ação sacramental com o batismo, mediante o gesto da aspersão com água benta, acompanhando de fórmula que se refere explicitamente à água batismal e ao mistério pascal de Cristo. Este contem a prece do sacerdote e ato penitencial para reafirmar a ligação estreita entre o sacramento da penitência e o sacramento da unção.
A liturgia da palavra, que, através de várias leituras, mostra a continuidade do gesto sacramental que está se realizando com os grandes gestos de salvação. Depois da prece litânica que se refere às obras salvíficas de Deus, o ministro, em silêncio, impõe as mãos sobre o doente. O silêncio que o acompanha tem precisamente o significado de evocar essa misteriosa vinda do Espírito ou, se manisfesta na fórmula da unção, da "graça do Espírito Santo". À imposição das mãos, segue-se a prece de bênção de óleo ou de ação de graças sobre o óleo já bento, com a unção do doente na fronte e nas mãos, juntamente com a fórmula sacramental e uma prece por aquele que está por receber o sacramento. Essa oração supõe e revitaliza a fé do cristão que recebe o sacramento a atualiza a fé da Igreja. A prece depois da unção apresenta diversos textos: para um doente, para uma pessoa anciã, para um doente em grave perigo, para um agonizante. O rito de conclusão compreende na recitação comum do Pai- Nosso e a benção dada pelo sacerdote.
Portanto, o sacramento da unção dos enfermos constitui uma ação atual de Cristo e de sua misericórdia mediante uma realidade sensível, o óleo, transformado em sinal eficaz de graça e de salvação na Igreja, em favor dos dontes.
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Fonte: ROCCETTA, Carlo. Os Sacramentos da fé: ensaio de teologia bíblica sobre os sacramentos como "maravilhas da salvação" no tempo da Igreja. São Paulo: Paulinas, 1991.


Conselho de Família faz partilha com Seminaristas

O Conselho de Família do COV Nazaré formado pelos casais Roberto e Roselene; Edi Carlos e Milva, reuniu-se com os Seminaristas para um momento de partilha sobre os desafios do Matrimônio vivido na Igreja. Partilharam assim sobre as dificuldades enfrentadas no dia a dia e que são superadas com paciência, oração, perdão, discernimento e coragem. Os Seminaristas ficaram felizes com o momento e agradecem a disponibilidade dos casais.


Encontro com benfeitores e vocacionados em São Luís

No Domingo, dia três de setembro de 2017, aconteceu em São Luís no Maranhão na Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, o Encontro Vocacional com os jovens e vocacionados pela parte da manhã. Participaram deste momento o Padre Hermes Novakoski, Ir. Joandeson Ferreira, Postulante Gabriel Concolatto e o Seminarista Cláudio Ponte. Também participou a Ir. Maria Julia Barbosa das Pobres Servas da Divina Providência. No encontro foi muito produtiva a partilha sobre a Vida Religiosa Consagrada. Foi também oportunidade para sanar algumas dúvidas mais comuns e frequentes dos jovens. Simultaneamente em outro local da Paróquia ocorreu um momento de partilha do Pe. Hermes Novakoski sobre o trabalho e organização do SAV (Serviço de Animação Vocacional) e Agentes Vocacionais em Marituba Pará para os membros do SAV de São Luís.


No segundo momento, às 18:00 horas aconteceu a santa missa presidida pelo Pe. Hermes e participada pelos membros da Paróquia e em especial pelos Benfeitores do COV Nazaré, membros do Projeto Amigos das Vocações. Em sua reflexão o Pe. Hermes ressaltou que a vocação é conhecida especialmente através do contato com a Palavra de Deus. Ir. Joandeson Ferreira também falou sobre o trabalho da animação vocacional. Postulante Gabriel Concolatto e o seminarista Cláudio Victor partilharam suas experiências no processo de discernimento vocacional. A família do Seminarista Cláudio também falou sobre seu papel na animação vocacional dos filhos. É de fundamental importância o apoio e incentivo dos pais. 

Logo após à santa Missa houve um jantar de confraternização entre os religiosos e os benfeitores. Nós do COV Nazaré agradecemos pela fraterna acolhida de todos e louvamos a Deus pelo sim dos nossos amigos de São Luís.