Beatificação histórica do Papa João Paulo II

Cerimônia em honra ao Papa João Paulo II mostra a força do exemplo da santidade e humildade do Santo Padre.


"Feliz és tu, amado Papa João Paulo II, porque acreditaste! Continua do Céu a sustentar a fé do Povo de Deus. Amém". Assim o Papa Bento XVI concluiu a homilia da missa de beatificação de Karol Wojtyla. Pelo mundo, milhares acompanharam a celebração, e em Roma, mais de um milhão e meio de pessoas de todas as partes, principalmente da Polônia, testemunharam o dia histórico para a Igreja Católica, quando um dos papas mais amados pelos fiéis tornou-se beato.

Bento XVI, que presidiu a cerimônia na Basílica de São Pedro, empolgou a multidão ao dizer: "O dia esperado chegou! João Paulo II é beato!".

Após a finalização dos ritos iniciais da Santa Missa, o Vigário do Papa para a Diocese de Roma, Cardeal Agostino Vallini, apresentou o pedido de beatificação do até então Venerável Servo de Deus João Paulo II.

Durante a leitura do pedido, o purpurado lembrou de João Paulo II como um homem que "mirava sempre o horizonte da esperança, convidando os povos a derrubar os muros das divisões". Em seguida, Bento XVI pronunciou a fórmula que tornou João Paulo II beato da Igreja e, da mesma janela onde foi apresentado como Papa ao mundo, em 1978, foi desvelada a imagem oficial do novo beato. A fotografia com o sorriso de Karol Wojtyla é de 1995, no centro da fachada da Basílica de São Pedro. Naquele momento, os peregrinos não contiram as lágrimas.

Na homilia, Bento XVI ressaltou, entre outros aspectos, a espiritualidade de Wojtyla. "Com o seu testemunho de fé, de amor e de coragem apostólica, acompanhado por uma grande sensibilidade humana, este filho exemplar da nação polaca ajudou os cristãos de todo o mundo a não ter medo de se dizerem cristãos, de pertencerem à Igreja, de falarem do Evangelho".

O Santo Padre também lembrou a tristeza do dia em que João Paulo II faleceu. "Já naquele dia, sentíamos pairar o perfume da sua santidade, tendo o povo de Deus manifestado de muitas maneiras a sua veneração por ele. Por isso, quis que a sua Causa de Beatificação pudesse no devido respeito pelas normas da Igreja, prosseguir com discreta celeridade. E o dia esperado chegou! Chegou depressa, porque assim aprouve ao Senhor: João Paulo II é Beato! João Paulo II é Beato pela sua forte e generosa fé apostólica", afirmou.

Numa homenagem pessoal, o Papa Bento XVI usou uma casula e uma mitra que pertenceram a Karol Wojtyla. Além disso, o cálice utilizado durante a missa foi aquele usado por João Paulo II nos últimos anos de seu pontificado.

Uma curiosidade é que o dia também se tornou histórico porque nos últimos mil anos, nenhum Papa havia proclamado seu predecessor como beato. Esta cerimônia de beatificação é considerada a mais vista da história, pelo número de pessoas presentes e acompanhando por meio do trabalho de mais de 2.300 jornalistas e 1.300 canais de televisão, que transmitiram ao vivo cada detalhe.

Irmã Marie Pierre, agraciada com o milagre de João Paulo II, falou emocionada aos peregrinos. "Minha experiência com João Paulo II é poder estar aqui testemunhando diante de vós".

AUTORIDADES

A cerimônia reuniu representantes de diversos países na Praça de São Pedro. No total 62 delegações compostas por chefes de Estado e de governo, além de famílias reais compareceram. O vice-presidente Michel Temer foi quem representou o Brasil.

Entre os religiosos, estavam o arcebispo de Belo Horizonte (MG), Dom Walmor de Azevedo; o arcebispo emérito de Salvador (BA), cardeal Geraldo Magella; o arcebispo emérito de Belo Horizonte, cardeal Serafim Fernandes de Araújo; o arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno e o arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer. E da arquidiocese de Belém, o arcebispo Dom Alberto Taveira Corrêa e o emérito Dom Vicente Zico.