CRUZ DA JMJ: 100 MIL JOVENS EM SÃO PAULO

Evento inicia trajetória rumo à JMJ do Rio de Janeiro, em 2013

SÃO PAULO, segunda-feira, 19 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – Cerca de 100 mil jovens acolheram nesse domingo, em São Paulo, a Cruz e o Ícone da JMJ (Jornada Mundial da Juventude).

O grande evento, intitulado “Bote Fé”, aconteceu no aeroporto Campo de Marte, na zona norte da cidade, e contou com muita música, confraternização e momentos de oração.

Das 9h às 21h, jovens, famílias, religiosos, bispos vivenciaram um pouco da alegria do que será a JMJ do Rio de Janeiro, em 2013.

Segundo informa o portal da arquidiocese de São Paulo, na abertura do evento, o cardeal Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, disse que “a Igreja tem fé na juventude”.

A juventude “possui um coração generoso e o desejo de construir um mundo melhor para si e para as próximas gerações”, destacou.

Dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar de São Paulo e referencial do Setor Juventude da arquidiocese, disse que “a grande expectativa era de ter um bom início, com grande resposta de interesse, e isso já se confirmou com a participação em Madri e agora aqui”.

“É tempo de evangelização, de encontrar motivos de alegria e esperança para um mundo novo”, afirmou.

Segundo Dom Tarcísio, o jovem “é uma prioridade; a Igreja acredita no presente e no futuro. O jovem é a igreja hoje e a renovação das forças para a igreja do amanhã, além da alegria que a juventude tem e que a igreja precisa”.

Diferentes atividades e serviços foram preparados para o “Bote Fé”. Houve tenda de confissões, capela de adoração, terço encenado, vídeos sobre a história da JMJ e sobre a jornada de Madri, missas, testemunhos.

Entre as muitas apresentações musicais, shows de padre Fábio de Melo, Olívia Ferreira, Marcio Pacheco, Banda Dom, DJs e Cristo Dance, Banda Beatrix, Rosa de Saron, DDD, Vida Reluz, Adriana, Eugenio Jorge, Dunga, Eliana Ribeiro e Walmir Alencar.

"Nos próximos dois anos vamos experimentar o catolicismo de forma verdadeira, em um espetáculo de unidade. Hoje não se tem a possibilidade de evangelizar sem a música", disse o cantor e missionário da Comunidade Canção Nova Dunga.

À tarde, foram acolhidos pelos jovens os símbolos da JMJ. A Cruz e o Ícone chegaram em caminhões do corpo de bombeiros, durante missa presidida por Dom Odilo.

A festa continuou até às 21h, quando a Cruz e o Ícone seguiram para a Catedral da Sé, onde fica até a noite desta segunda-feira.