CELEBRANDO SÃO JOÃO CALÁBRIA

Hoje a nossa Família Calabriana está em festa. Ao celebrarmos o dia de nosso Pai Fundador, gostaríamos de trazer alguns depoimentos de pessoas que conheceram, conviveram ou estudaram profundamente sobre a vida de São João Calábria.

Iniciamos com o depoimento do Bispo de Verona, Dom José Carraro, no primeiro centenário do nascimento de Calábria, em 8 de Outubro de 1973, prevendo sua canonização:

- "Agradecemos a Deus por ter dado à Igreja de Verona a esplendorosa e amável figura de Padre João Calábria. Ao tentar analisá-lo atentamente, parece um prisma de diversas faces. Há, porém, uma luz interior que ilumina a todos, que é a fidelidade ao Evangelho. Uma fidelidade simples, linear e robusta, nutrida de abandono à Providência. Uma fidelidade simples, de intensa oração, de amor obediente à Igreja, de serviço incondicional aos mais pobres e aos abandonados. No Padre Calábria, Deus presenteou um grande dom à Igreja de São Zeno (Verona - Itália). Que ele permaneça como um luminoso farol para nos mostrar o verdadeiro caminho da "renovação" promovida pelo Concílio. Que tal renovação permaneça como um ponto de referência e de verificação da autêntica “apostólica vivendi forma”, que hoje muitos invocam e procuram. Que sua voz ressoe ainda para exortar, admoestar, chamar de volta... E que ele una a sua súplica à nossa para obter uma renovada primavera de santos na Igreja de São Zeno e na Igreja Universal."

Já em 4 de Dezembro de 1984, Monsenhor José Amari dizia:

- "Padre Calábria pregou o Evangelho com a própria vida, com as obras, com a palavra. Seu sacerdócio profético não conheceu pausas, nem rotinas, nem desgastes. [...] Mas o que nele surpreende - considerada a impressionante aceleração da história destes últimos anos - é a atualidade de sua mensagem, como se ele tivesse a intuição profética dos tempos que só agora estamos vivendo."

O Papa João Paulo II em sua Homilia na missa de canonização, referindo-se ao Pe. Calábria dizia:

“Toda a existência de João Calábria foi Evangelho Vivo, transbordante de caridade: caridade para com Deus e caridade para com os irmãos, sobretudo os mais pobres. A fonte de seu amor para com o próximo era a confiança ilimitada e o abandono filial que sentia em relação ao Pai celeste. Gostaria de repetir aos seus colaboradores as palavras evangélicas: Em primeiro lugar, busquem o Reino de Deus e a sua justiça, e Deus dará a vocês, em acréscimo, todas essas coisas" (MT 6,33). [...] (João Paulo II, 18 de abril de 1999 - Basílica de São Pedro).

Os bispos da Conferência Episcopal do Trivêneto, na carta de postulação endereçada ao papa João Paulo II escreveram: "Pe. Calábria, exatamente para preparar a Igreja do ano 2000 - expressão a ele familiar - fez de sua vida um sofrido e enternecido apelo à conversão, à renovação, à hora de Jesus com acentos impressionantes de premente urgência ... Parece-nos que a vida do Pe. Calábria e a sua mesma pessoa constitua uma "profecia" do vosso apaixonado grito a todo o mundo: "Abram as portas a Cristo Redentor!".

Estas são apenas algumas expressões de quem conheceu este grande homem e sacerdote. Uma pessoa de Deus que por onde passava espalhava o perfume da caridade. Agradecemos a Deus por nos ter dado este santo como exemplo e que ele interceda por nós para vivermos a nossa fé em total abandona nas mãos da Divina Providência. São João Calábria, intercedei por nós.