PALAVRAS DE SÃO JOÃO CALÁBRIA: O QUE ME CAUSA MEDO

Eu nunca tive medo das lutas que vêm de fora: estas servem para dar o cunho das obras de Deus. O que me causa medo é a nossa pouca virtude, a frouxidão, a tibieza espiritual. Guardemos distância das proteções humanas! Se aparecerem, agradeçamos ao Senhor; mar não nos preocupemos com grangeá-las. Por conseguinte, só seremos grandes, se formos pequenos. Somente Deus: façamos tudo para agradar a Ele e, não, para pedir e mendigar um louvor humano e terreno; o bem que fizemos, mantenhamo-lo oculto: que ninguém o saiba.

Não digamos: eu fiz isso, eu fiz aquilo. Por amor de Deus, que o amor próprio e a soberba não nos roubem os méritos que podemos adquirir para nós em nosso sagrado ministério e apostolado. Vivamos uma vida de fé, pensando que estamos aqui de passagem, que a vida presente não é um fim em si mesma, mas uma preparação para a verdadeira vida na feliz eternidade e que tudo deve ser coordenado em função desta última. Deus nos criou por um desígnio de amor infinito e colocou-nos nesta terra que, embora sendo um lugar de provações e de exílio, é rica em tantas dádivas,em tantas coisas belas e agradáveis, que nos devem servir de degraus para subirmos até Deus, sem que nos detenhamos nelas, apegando às mesmas o nosso coração: elas foram feitas para o homem e o homem, para o Senhor. Com quanta facilidade, entretanto, os homens se esquecem da nobreza da sua origem e de seu grandioso destino! Querem encontrar o seu paraíso aqui na terra, cedendo às próprias paixões; mergulham, então, na lama e se revoltam contra Deus, querendo ser lives para gozar a vida a seu capricho.

E, assim, a vida se enche de pecados e a vida não mais cristã, mas pagã.


Palavras de São João Calábria - Livro: Retornemos ao Evangelho.