SÃO JOÃO CALÁBRIA E O ROSTO MISERICORDIOSO DE DEUS

Queridos irmãos e irmãs. Saudação especial aos que comungam da Espiritualidade Calabriana: Religiosos, Religiosas, Irmãos Externos, Leigos, Colaboradores. Uma grande família que comunga da mesma fonte: a Eucaristia, buscando avivar a fé e a confiança em Deus Pai Providente.

Dia oito de outubro é dia de festa para todos nós, pois celebramos o nosso pai fundador, São João Calábria. Homem simples, mas de grandiosíssima fé em Deus. Um sacerdote que tocou o coração de muitas pessoas pelo seu jeito simples e paterno de ser e viver.

O tema que escolhemos para este ano, SÃO JOÃO CALÁBRIA E O ROSTO MISERICORDIOSO DE DEUS, está ligado ao que a Igreja celebra e vive: o Ano da Misericórdia. Vamos relembrar alguns acontecimentos na vida de São João Calábria que manifestaram a misericórdia de Deus.

Sabemos que desde o nascimento a sua trajetória foi desafiante. Passou necessidades durante a vida. Tudo isso poderia ter tornado ele uma pessoa amargurada, de mal com a vida, com as pessoas e com Deus. Tinha motivos suficientes para murmurar, pois carregava pesados fardos de fome, frio, humilhações.

Porém, sustentado por uma grande fé, que aprendeu a cultivar com sua mãe, dona Angela, São João Calábria fez de tudo isso degraus para crescer na dimensão espiritual e assim se tornar um homem procurado por muitos para conselhos e orientações nas mais diversas áreas. Ele se tornou mais uma prova de que quando temos fé superamos as dificuldades com fortaleza.

Tudo o que ele viveu, tornou seu coração ainda mais sensível as necessidades dos irmãos e irmãs. Ele não desejava que mais ninguém passasse por aquilo. Queria, através das suas obras, manifestar o rosto misericordioso de Deus, assim como ele mesmo experimentou em sua vida.

Vejamos alguns depoimentos falando da vida deste sacerdote santo:

Monsenhor José Amari dizia em 1984:"Padre Calábria pregou o Evangelho com a própria vida, com as obras, com a palavra. Seu sacerdócio profético não conheceu pausas, nem rotinas, nem desgastes. [...] Mas o que nele surpreende - considerada a impressionante aceleração da história destes últimos anos - é a atualidade de sua mensagem, como se ele tivesse a intuição profética dos tempos que só agora estamos vivendo."

O Papa João Paulo II em sua Homilia na missa de canonização, referindo-se ao Pe. Calábria dizia: “Toda a existência de João Calábria foi Evangelho Vivo, transbordante de caridade: caridade para com Deus e caridade para com os irmãos, sobretudo os mais pobres. A fonte de seu amor para com o próximo era a confiança ilimitada e o abandono filial que sentia em relação ao Pai celeste. Gostaria de repetir aos seus colaboradores as palavras evangélicas: Em primeiro lugar, busquem o Reino de Deus e a sua justiça, e Deus dará a vocês, em acréscimo, todas essas coisas" (MT 6,33). [...] (João Paulo II, 18 de abril de 1999 - Basílica de São Pedro).

Os bispos da Conferência Episcopal do Trivêneto, na carta de postulação endereçada ao papa João Paulo II escreveram: "Pe. Calábria, exatamente para preparar a Igreja do ano 2000 - expressão a ele familiar - fez de sua vida um sofrido e enternecido apelo à conversão, à renovação, à hora de Jesus com acentos impressionantes de premente urgência ... Parece-nos que a vida do Pe. Calábria e a sua mesma pessoa constitua uma "profecia" do vosso apaixonado grito a todo o mundo: "Abram as portas a Cristo Redentor!".

Nosso santo fundador foi profeta em muitos aspectos. Passos que ao longo da história a Igreja foi dando. Uma ideia belíssima e inovadora foi a forma como ele pensou, por exemplo, as casas de formação para os futuros sacerdotes e religiosos. Ele queria que em nossas casas fossem acolhidos os mais simples e pobres e que tivessem total liberdade para continuar na Congregação ou buscar outra, ou ainda ir para uma Diocese. Vocações para a Igreja era um dos seus lemas.

Hoje buscamos continuar este projeto com os COVs – Centro de Orientação Vocacional. No Brasil temos quatro casas. Aqui em Marituba o COV Nossa Senhora de Nazaré; em Campo Grande o COV Rainha dos Apóstolos; em Feira de Santana BA, o COV Mãe de Deus e em Farroupilha o COV Nossa Senhora de Caravaggio.

Em todos os momentos e gestos da sua vida, São João Calábria buscou manifestar o amor de Deus pela humanidade. Seu coração sempre foi sensível as necessidades dos sofredores. Vemos isso se concretizando quando ele encontra na porta de sua casa, numa noite de inverno, uma criança deitada no meio de papelão. Quando ele interroga o pequeno, porque estava aí, em uma das respostas o pequeno diz: “Você é bom comigo!” Esta criança sente que o jovem Calábria tinha um bom coração. Não desejava o mal a ninguém. Acolhe a criança e dorme no chão para que ela pudesse sentir-se bem acolhida.

Em cada criança que ele acolhia na casa que depois foi crescendo, buscava manifestar o amor e a misericórdia de Deus. Queria que eles se sentissem amados por Deus através do cuidado que recebiam dele e dos irmãos e irmãs que auxiliavam.

Uma outra missão bonita que Jesus confiou a Obra calabriana, foi a reparação. A este respeito escrevia São João Calábria: “Dentre as tarefas confiadas à nossa humilde Obra pela Divina Providência, encontra-se também a reparação pela qual podemos considerar que as pobres orações, os pequenos sacrifícios por nós oferecidos são aceitos por Deus e tenham uma eficácia especial, não por nossos méritos, mas por uma particular predileção da parte do Senhor que quis esta Obra justamente para este tempo”. Somos convidados a pedir perdão por nossos pecados e pelos pecados de toda a humanidade.

Existem muitos outros acontecimentos que marcaram a vida de nosso fundador e a Obra Calabriana. Hoje buscamos manifestar a misericórdia de Deus através das diversas obras mantidas pela Congregação aqui em Marituba, no Brasil e no mundo. Em todas elas queremos e desejamos que as pessoas sintam que temos um Deus que é Pai, nos ama, protege, abençoa.

Vamos viver com grande fé a festa de São João Calábria neste ano. Façamos uma profunda e verdadeira experiência da misericórdia de Deus nos aproximando do Sacramento da Confissão e a manifestemos ao mundo.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.


ORAÇÃO PARA REPARAÇÃO

Meu Jesus, pão partido e sangue derramado, vítima na cruz, dom de amor do Pai para a nossa salvação. Ajuda-nos a oferecermos a nós mesmos, para sermos tuas testemunhas. Para sermos sinais de solidariedade e reparação na participação ao Teu corpo místico. Transforma nossas lágrimas e as fadigas de cada dia num canto de louvor e de ação de graças, na alegria profunda de pertencermos a Ti, almas na tua alma, corações no teu coração. Tudo para vivermos em ti como Evangelhos vivos. Acolhe o oferecimento deste nosso dia, unido à oblação de Cristo na Eucaristia em reparação pelos nossos pecados, em favor da Obra toda nascida do teu lado, para o bem da Igreja e do mundo inteiro. Em tuas mãos entrego minha vida, abandono-me a Ti e à Tua Divina providência para viver o disposto a tudo com grande fé. Amém!